Filmes gastronômicos

1

6 de abril de 2010 por Felipe Tavares

Há algum tempo me tornei um grande apreciador do cinema. Deixei de acompanhar somente os blockbusters para ver de tudo, filmes europeus, sulamericanos, polêmicos, lado b, clássicos, enfim, de tudo um pouco. Depois de assistir, analiso, pesquiso, até tentar absorver tudo aquilo que o filme nos passa. Não, ainda não posso me considerar um cinéfilo, quem sou eu. 
Então, nada mais normal do que conciliar a admiração que tenho pelo cinema com a paixão pela gastronomia. E olha, fiquei muito surpreso, tem tanta coisa boa que você que eu nem imaginava. Abaixo listo alguns filmes clássicos que conseguiram a liga perfeita. Retirei as sinopses do site da Netmovies
                                                
Título: Simplesmente Martha(Bella Martha)
Ano: 2001
Duração: 106 min
Sinopse: Uma deliciosa comédia romântica, que ganhou mais de 10 prêmios internacionais e conquistou o coração dos fãs de cinema em todo o mundo.  Martha é uma mulher solteira que vive para uma única paixão: cozinhar. Como cozinheira chefe de um restaurante sofisticado, ela não tem tempo para nada nem para ninguém. Mas sua vida solitária é abalada quando um acidente do destino coloca Lina, sua sobrinha de oito anos, na porta da sua casa. À medida que Martha luta para cuidar da voluntariosa menina, o restaurante contrata um charmoso e descontraído cozinheiro italiano chamado Mario. Desconfiada das intenções de Mario, ela descobre, pouco a pouco, que ele tem uma receita especial para viver… uma receita que vai envolver sua casa e seu coração. Com sua apetitosa mistura de comédia, romance e comida, Simplemente Martha é um filme muito saboroso.

Meu comentário: Lindo!rs Versão original européia do “Sem Reservas” com Catherine Zeta-Jones. Conseguiram mesclar certinho romance com culinária. É ótimo ver uma cozinha de padrões internacionais por dentro, ver que até mesmo os grandes chefs passam por maus bocados com clientes, como nossa vida é corrida e como é duro ter  apenas uma folga por semana. rs

Título: Vatel – Um banquete para o Rei (Vatel)
Ano: 2000
Duração: 112 min

Sinopse

Em 1671, o Rei Luis XIV (Julian Sands) governa Versailles, enquanto no oeste da França uma província está à beira da ruína. Mas qual seria a solução para esta crise? O Príncipe de Conde tem um plano para tirar sua província do vermelho: ele vai convidar o rei para seu castelo no campo e proporciona-lo um final de semana de festas e muita diversão. Se ele conseguir reconquistar Luís XIV, os cofres reais se abrirão e sua região estará salva do desastre econômico. O sucesso do plano depende de um simples serviçal ? Vatel, o único homem que pode oferecer a comida suntuosa e o entretenimento elaborado dignos deste rei. Além desse desafio, algo mais mexe com a cabeça de Vatel: Anne de Montausier (Uma Thurman), uma nova candidata à dama da corte que se afeiçoa por sua simplicidade, gentileza e humanidade.


Meu comentário: O filmes nos mostra um pouco da história François Vatel, o criador do creme chantilly e um dos grandes responsáveis pela “criação” da culinária francesa. Imagina naquela época servir banquetes para 600, 1000 pessoas? Pois é, ele conseguia com maestria. Uma aula da história da gastronomia.


Título: Ratatouille (Ratatouille)

Ano: 2006
Duração: 110 min
Sinopse: 

Remy (Patton Oswalt) é um ratinho que sonha se tornar um grande chef. Só que sua família é contra a idéia, além do fato de que, por ser um rato, ele sempre é expulso das cozinhas que visita. Um dia, enquanto estava nos esgotos, ele fica bem embaixo do famoso restaurante de seu herói culinário, Auguste Gusteau (Brad Garrett). Ele decide visitar a cozinha do lugar e lá conhece Linguini (Lou Romano), um atrapalhado ajudante que não sabe cozinhar e precisa manter o emprego a qualquer custo. Remy e Linguini realizam uma parceria, em que Remy fica escondido sob o chapéu de Linguini e indica o que ele deve fazer ao cozinhar.

Meu comentário: Uma surpresa super agradável! Não gosto de ver desenhos, até o dia em que descobri que o consultor de gastronomia do filme foi o chef que eu mais admiro, Thomas Keller. Esqueci que era desenho nos primeiros 20 min e ao término me questionei se o filme foi realmente feito para crianças. Ótimo! Não deixe de ver a entrevista com o Thomas Keller nos Extras.


Título: Tempero da Vida (A touch of spice)

Ano: 2003

Duração:  107 min
Sinopse: 

Fanis Iakovidis é um conhecido professor de astrofísica na Grécia. Com quarenta anos ele chegou a um momento decisivo de sua vida, uma encruzilhada existencial que a ciência não pode auxiliá-lo a compreender. Vassilis, seu avô e mentor, vive em Istambul e desenvolveu sua própria filosofia culinária, reverenciada e aplicada tanto por gregos quanto por turcos. Fanis não vê o avô desde que tinha sete anos de idade, e assim, quando o velho homem decide ir à Grécia depois de tantos anos, sua visita iminente acende a vida de Fanis como um acontecimento histórico. Um filme que retrata a magia da imaginação infantil transformada ao longo da vida por acontecimentos familiares e sociais.

Meu comentário: Filme grego? Culinária grega? Isso mesmo! Uma excelente abordagem sobre como os temperos podem valorizar os pratos e até mesmo nossas vidas! Nossa, profundo isso…Filme muito bacana que nos mostra, além da exótica culinária grega, como uma pessoa apaixonada pela culinária pode lutar contra todos para seguir seu sonho.



Título: Um bom ano (A good year)
Ano: 2006
Duração: 117 min 
Sinopse: 

O Londrino Max Skinner (RUSSELL CROWE), especialista em investimentos, muda-se para a região da Provence para vender um pequeno vinhedo que herdou de seu falecido tio. Max relutantemente entra no que acaba sendo um alucinante novo capítulo na sua vida, e descobre que a vida deve ser saboreada. Presunçoso e arrogante, teimoso e bonitão, Max Skinner é um banqueiro especializado em compra e venda de títulos. Ele é um gigante financeiro que devora a concorrência, tentando conquistar o mercado europeu. Sua última conquista rendeu um lucro líquido de sete dígitos, para a tristeza de seus rivais vestidos com ternos elegantes da Saville Row. O triunfo de Max combina com sua filosofia: ganhar não é tudo, mas é a única coisa que importa!


Meu comentário: Nossa, simplesmente adorei! Talvez porque estou passando por um momento 

de mudanças e turbulências como o personagem. Para quem gosta é de vinhos é um prato cheio, ops, uma taça cheia!



Título: Super size me – A dieta do palhaço (Super size me)
Ano: 2004
Duração: 100 min 
Sinopse:

Vencedor de inúmeros prêmios, Super Size Me é um filme sério e divertido, trágico e cômico. Afinal, a saúde é alvo de grande preocupação do homem moderno. Morgan Spurlock se propôs a comer por 30 dias apenas itens do cardápio do Mc Donalds para provar os efeitos nocivos desse tipo de comida no corpo humano. Sem perder o humor, conseguiu atrair a atenção de uma das redes de fast food mais famosas do mundo, que inclusive vem alterando seu cardápio com itens mais saudáveis depois do sucesso mundial do alerta de Super Size Me. Sucesso no mundo inteiro, vai fazer você rir muito…e pensar também.


Meu comentário: Tenso!kkk Lembro que tive que fazer uma análise deste filme na época da faculdade. Faz uma crítica feroz ao Mc Donalds e as redes de fast-food. Chega a ser nojento em algumas partes, mas depois deste documentário é que muita coisa mudou nestas redes. Fantástico!

Abraço,

Felipe Tavares

Anúncios

Um pensamento sobre “Filmes gastronômicos

  1. Achei seus comentários ótimos…

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

Receba as atualizações do Indo pra Cozinha por e-mail

Junte-se a 312 outros seguidores

Arquivos

%d blogueiros gostam disto: