O dia em que surtei

2

7 de julho de 2010 por Felipe Tavares

Estava eu, trabalhando feliz da vida na cozinha, rendendo horrores, todo confiante “Nó tô pegando a manha mesmo…”. O dia continuou, montamos o buffet, o almoço foi um sucesso, deve ter passado umas 400 pessoas por lá, não tive uma falha, não que eu tenha percebido.

Descemos o buffet e eu estava verificando as sobras para ver o que dava para aproveitar e o que eu deveria ser descartado, quando ouço as duas saladeiras cochichando no cantinho da praça de saladas. No meu vai e vem de guardar baldinhos na câmara fria, percebo que estão falando de mim. 

What a fuck? “Ele não sabe fazer rosas das cascas de frutas e nem monta a decoração nas travessas…Ele tem que aprender, só nós duas fazemos…bla bla bla” Não queria falar nada, queria ignorar, “sou melhor que isso” eu pensava, já tinha entendido o recado. Mas até que não aguentei e falei em um tom mais alto, mas ao mesmo tempo de brincadeira(mentira, foi cinismo mesmo rs): “Vocês acham que eu não tô percebendo que vocês estão falando de mim? Então falem na minha cara!” Elas: “Você tem que aprender a fazer as rosas de cascas e a cortar os legumes para decoração para nos ajudar…”. “Ok”, respondi frio, “Não se preocupem, a partir de amanhã vou começar a treinar isso e ajudá-las, beleza?”

Saí da cozinha igual um capeta! Tá certo, falha minha em não saber fazer as malditas rosas de cascas de frutas e tomates(coisa mais anos 80 diga-se de passagem), mas como diz minha irmã: “É o que tem pra hoje!” e eu tenho que saber fazer também.

Cheguei em casa, peguei minha faca de legumes que há tempos não usava, amolei como se fosse um bisturi, entrei no site do Senac, vi que tem um curso de decoração de mesa de frios no final deste mês e reservei minha vaga. Decoração? Vocês vão ver o que é decoração com legumes! [Nota Mental]Calma Felipe, menos ódio nos seus dedos e na sua mente...

Me senti a própria Julia Child no filme Julie & Julia quando ela chega na escola de culinária toda feliz para picar cebolas e é simplesmente humilhada por seus companheiros que cortam 10 cebolas por minuto! Ela chega em casa com ódio e começa a picar cebolas desesperadamente, tipo um saco de 15kg.

Depois de acalmar, percebo que a vida é assim mesmo e que não tenho nem 6 meses direito de cozinha. Crescemos com situações como esta e às vezes, muitas vezes até, precisamos de um “tapa na cara” para acordar e nos tirar da zona do conforto, afinal porque eu nunca tinha simplesmente tentado fazer as benditas decorações?

Abraços humildes,

Felipe Tavares
Anúncios

2 pensamentos sobre “O dia em que surtei

  1. Paulinha disse:

    hahahaheu acho engraçado d+ as coisas q vc poe no seu blog… Enfim….eh assim mesmo neh. É o q tem pra hj, e com isso, a gente vai aprendendo cada dia mais coisas…Faz o seguinte: foca suas energias em coisas que vão te trazer algum benefício. E é desse jeito…vamo q vamo… hehehebjoos da sua irmanzinha rsrsrPaulinha

  2. Irmazinhaaaa,Já tô focando as energias e já estou fazendo as malditas decorações…Vamo que vamoooo!bjos

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

Receba as atualizações do Indo pra Cozinha por e-mail

Junte-se a 312 outros seguidores

Arquivos

%d blogueiros gostam disto: