Rituais de cozinha

2

23 de outubro de 2011 por Felipe Tavares

Comprei o livro “Ao ponto” do Anthony Bourdain que comentei aqui há algumas semanas e li em menos de uma semana. Nem precisa falar como o livro é incrível, como o Tony continua com um repertório de histórias maravilhosas e um língua super afiada. Não tanto quanto no “Cozinha confidencial”, ele mesmo assume isso, mas continua alfinetando muita gente importante nesse universo gastronômico e até pede desculpas por algumas coisas que ele falou no outro livro. 

Das várias histórias que me chamaram a atenção no livro(para variar, grifei e rabisquei o livro todo), a que inicia o livro é sem dúvida a mais chocante e a mais interessante. 

Ele recebe um convite para jantar em um famoso restaurante de Nova York sob juramento de guardar segredo absoluto sobre o evento. Na mesa estão com ele 12 dos maiores chefs do mundo. Como ele mesmo descreve: “Se um vazamento de gás explodisse o prédio? A alta gastronomia como a conhecemos hoje seria praticamente extinta num único golpe.

O menu do dia? Ortolan, Emberiza hortulana. Um passarinho nativo da Europa, parecido com um pintassilgo com um valor de U$250 a unidade no mercado negro. Uma iguaria francesa proibida há trocentos anos e apreciada desde a época romana.

Tadinho do bichinho
Fonte: 
http://myths-made-real.blogspot.com/

Encontrei vários sites sobre o “ritual” de preparo e degustação do ortolan, além do que é contado no livro. Vou resumir para você.

Reza a lenda(rs) que o pássaro é apanhado com rede, depois retiram os olhos dele para manipular o ciclo alimentar(assim ele se alimenta mais). Depois de engordarem bastante e desenvolverem uma camada extra de gordura, as aves são “afogadas” no armagnac, uma bebida parecida com o conhaque, depenadas, assadas e servidas. Inteiras, com vísceras, sangue, ossos e tudo mais. Hein? Tenso! Não estou fazendo apologia, só estou retransmitindo uma informação que achei incrível!(rs)

Se você acha que as maluquices neste ritual acabaram…A ave pode ser servida sozinha ou assada dentro de uma batata. E na hora de comer, os comensais devem cobrir a cabeça com um guardanapo para degustar esta iguaria, dizem que é em “respeito à Deus” e para que ninguém veja a sujeira que você deve fazer ao comer o pobre coitado. 
Dentro da batata…


Putz, tô pegando pesado com este post, se algum leitor meu for vegan ou membro do PETA esse blog vai acabar em uma semana…Sorry!
Enfim…se você ainda não entendeu como a “parada” funciona, veja o vídeo abaixo. 
Nojo? Dó? Fome? Curiosidade? Qual foi sua reação ao ver tudo isto? (kkk)

Confesso que fiquei curioso em provar o sabor, mas talvez teria muita dó em acompanhar todo o processo.
Abraços carnívoros,
Felipe Tavares
Fontes de pesquisa para este post
Ao ponto – Anthony Bourdain

The two malcontents –  http://www.the-two-malcontents.com/

The Telegraph – http://www.telegraph.co.uk/
And I think to Myself…What a wonderful world – http://myths-made-real.blogspot.com/
Anúncios

2 pensamentos sobre “Rituais de cozinha

  1. Pra comer coisas gostosas, filho! uhauhahuahu

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

Receba as atualizações do Indo pra Cozinha por e-mail

Junte-se a 312 outros seguidores

Arquivos

%d blogueiros gostam disto: