Quem é o chef ?

24

11 de dezembro de 2013 por Felipe Tavares

Final do ano taí e além das gordices que comemos até roliçarmos uns 4kg, tem muita coisa rolando.

Tenho visto frequentemente pelas redes sociais um tanto de gente se formando nos cursos de gastronomia(cozinheiro/graduação/especialização) e falando: “Obrigado gente, agora sou CHEF”; “Cozinhas me aguardem, tá chegando mais um CHEF”…

Deixa eu só te contar uma coisa, filho(a), você não é chef não, tá?

Assim como um bacharel em Direito ao se formar não se torna doutor (Dr. é quem tem doutorado) ou como em qualquer outra área de formação: ao sair da faculdade você não se torna um gerente ou diretor.

Na cozinha é a mesma coisa. Você é cozinheiro, com muito orgulho! Antes de ser chef, tem que bater muita salsinha, lavar muita panela e ler pelo menos 2x “Cozinha Confidencial” do Anthony Bourdain.

De acordo com a Classificação Brasileira de Ocupações – CBO, os chefs de cozinha:

Criam e elaboram pratos e cardápios, atuando direta e indiretamente na preparação dos alimentos. Gerenciam brigada de cozinha e planejam as rotinas de trabalho. Podem gerenciar, ainda, os estoques e atuar na capacitação de funcionários.

Viu ai, né? GERENCIAM BRIGADA DE COZINHA! (rs) Se você clicar no link ai da CBO, verá muitas outras responsabilidades do chef.

Na Associação dos Profissionais de Cozinha do Brasil – APC Brasil, o cozinheiro só pode se registrar como profissional depois que tiver mais de 5 anos de profissão. Do contrário, ele é chamado de profissional de base. 

Não estou sendo encrenquinha ou coisa parecida. O problema é que esses estudantes ou recém-formados caem no mercado de trabalho achando que é chef sem ao menos ter vivido 6 meses de cozinha e acabam prejudicando nossa classe.

Não basta por um toque blanche na cabeça e uma dólmã style para ser chef, é preciso muito mais.

Todos nós somos cozinheiros profissionais e não temos que ter vergonha disso não! Estamos num momento que precisamos muito mais de cozinheiros do que chefs estrelinhas que tem meia dúzia de receitas no repertório.

Abraços decepcionados,

Felipe Tavares

PS: Logo quando pisei na cozinha, falei coisas parecidas neste post que ainda é um campeão de visitas no blog. Clique aqui para ler.

Anúncios

24 pensamentos sobre “Quem é o chef ?

  1. Só te digo uma coisa: Voce tem meu respeito! 🙂

  2. Falou tudo e foi direto ao ponto!!! Abração!!

  3. Douglas Fernandes Le Kerr disse:

    Sua lucidez é algo que deveria ser matéria de faculdade. Concordo plenamente com seu artigo, trabalhei por mais de dez anos em cozinhas de restaurantes e hotéis e nunca me senti um Chef, minha profissão era de cozinheiro, tive o prazer de estar como chefe de cozinha por qualidades inatas e muita experiência. Hoje quando estou a me despedir da área gastronômica ainda acho que muitos fazem a faculdade e se acham chefes, por que é isso que vendido a eles, pelas próprias faculdades e pela mídia.
    Um forte abraço!

    • Jesus Amado hahah Vc por aqui, Chef!
      Fico extremamente feliz com seu comentário e sua visita!
      Saindo da área? Como assim? =/
      De qualquer forma, desejo todo sucesso do mundo pra vc e obrigado pelos ensinamentos!
      Grande abraço!

  4. edson puiati disse:

    Meu caro Felipe, o termo “Chef” esta em desuso ele vem da antiga e verticalizada brigada francesa, onde ainda tínhamos profissionais chamados de “capataz”. Talvez por isso a mãe de nossa cozinha (Francesa) não conseguiu evoluir tanto deixando países como a Espanha, Brasil e outros das próprias Américas em evidência mundial. Somos hoje e acredito desde sempre cozinheiros em menor ou maior nível de criatividade e conhecimento de técnicas em que somente o mercado poderá dizer o tamanho de sua eficiência e eficácia na gastronomia. As escolas direcionam os alunos para conhecimentos específicos, técnicas, tecnologia, enfim ensinamos as ferramentas e como utilizá-las, a partir daí cada um segue seu caminho. É até possível termos um recém formado já com título de chef, mas dependerá do ambiente em que ele estará atuando que hoje pode variar de um buteco gourmet a um resort 6 estrelas. Fica minha pergunta? Qual empresa consagra um líder gastronômico verdadeiramente? E baseado em quais características? Prefiro continuar como professor de gastronomia!!!

    • Top Chef Master (HAHAHHA)

      Concordo em algumas partes, mas acho que a questão principal que tem faltado nestes recém chegados ao mercado de trabalho é: humildade.
      Pode acontecer de um formando assumir a chefia de uma casa? Sim. Mas será que ele tem experiência suficiente para isso?Maturidade?Bagagem?

      Enfim, questão super complicada que pode render boas horas de conversa com uma boa cerveja! =D

      Abs.

  5. Agora inventaram uma profissão para as cozinheiras da rede de escolas municipais,estaduais e etc. (merendeira).Sera que pessoas que cozinham para uma quantidade enorme de crianças são merendeiras? Pelo Aurelio creio ser utensilio para acondicionar merenda.Valorizem nossa profissão,por favor… Chef Tulio é o nome que minha esposa colocou no nosso Buteco. Eu sou é cozinheiro e da ” minha cozinha” com muito orgulho nestas andanças de mais de quarenta anos…

    • Grande chef Túlio!

      As “merendeiras” (também odeio esse nome) são cozinheiras de mão de cheia e para falar a verdade, muito mais cozinheiras que outros profissionais de restaurante por aí!

      Temos que levantar esta bandeira mesmo e ter orgulho de dizer, somos todos COZINHEIROS!

      Grande abraço e obrigado pela ilustre visita!

  6. Duda Pádua disse:

    Legal…gostei do texto. O modismo toma conta dos desinformados.

  7. Fabio disse:

    Felipe estou trabalhando com a grande chef de cozinha manu buffaro…conhece?

  8. Renata Diniz disse:

    Isso ai Felipe Tavares! Vejo tanto aprendiz de cozinheiro achando que vai sair da faculdade e entrar no mercado de trabalho ganhando “zilhões” que tenho dó! O povo acha que é fácil,que cozinha é como brincar de casinha…Vão ter que lavar muita coifa,muita panela,descascar muita batata e,acima de tudo,estudar muito depois de se formarem! Gde abraço!

  9. Arthur ex-garçom FDP disse:

    O que mais me impressiona é encontrar no mercado pessoas que se formam, tem dificuldade de fazer coisas básicas na cozinha e mesmo assim sobrevivem um tempo enganando donos de restaurante e clientes deslumbrados. Eu sei até que um destes picaretas viveu do seu trabalho durante um tempo, Felipe. Depois escreva um post sobre esta sua aventura…
    Mas não se pode enganar todo mundo o tempo todo, né?

    • Meu garçom predileto (hahah)
      Um dia todo mundo cai, não tem jeito! O negócio é que estas pessoas usam as outras habilidades que elas tem para “explorar” seus funcionários, mas nada é para sempre não! Vou pensar neste post sim!
      Abraços.

  10. Pamela disse:

    Felipe, conheci seu site hoje e gostei muito de seu post… Eu tenho a mesma paixão de cozinhar e estou pensando em mudar os rumos de minha carreira… Como vi que você já passou por uma grande experiencia, minha dúvida é: o que vale na arte de cozinhar é a paixão ou a técnica? E quais dicas você pode dar a esta moça que está pensando em trocar o RH pela cozinha… Abraços

    • Oi Pamela,
      Fico feliz que vc tenha encontrado o Indo pra Cozinha! =D

      Olha, técnica sem paixão não vale nada e vice versa. Na cozinha profissional é preciso ter paixão para aguentar 12h de trabalho em pé, numa cozinha à 50ºC e super estressante. E sem a técnica, você não conseguirá produzir muita coisa =/ É preciso dosar um pouquinho das duas coisas.

      A dica que eu dou é, se você tem dúvidas, faça cursos de pequena duração – massas, saladas, carnes, etc- para que você conviva com cozinheiros profissionais e viva uma cozinha “de verdade” e depois faça pequenos estágios ou auxilie os chefs em eventos. Assim, você poderá ver como é o ambiente profissional.

      No mais, sorte e sucesso para você!

      Abraços,

  11. Xenia Fonseca disse:

    Adorei o texto e o site. Também acabei de conhecer. Fiz o curso de Gastronomia a 4 anos e só agora tomei coragem de enfrentar o fogão profissionalmente. Sou técnica em nutrição e trabalho com cozinha a dezessete anos, comandando equipes muito mais como administradora que qualquer outra coisa em cozinhas industriais. É incrível que após esse anos, minha meta hoje é receber o grande título de: cozinheira. A vaidade é com certeza o “pecado preferido do Diabo”. Abraços.

    • Xenia,
      Que bacana sua experiência, tenho certeza que, em breve vc receberá o título de cozinheira e terá muito orgulho disso!
      Um amigo meu fala que nunca viu profissionais tão vaidosos quantos os médicos e “chefs” de cozinha…Vai entender!
      Abraços e obrigado pela visita e comentário!

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

Receba as atualizações do Indo pra Cozinha por e-mail

Junte-se a 309 outros seguidores

Arquivos

%d blogueiros gostam disto: