Abra um restaurante

25

24 de abril de 2014 por Felipe Tavares

Como eu havia falado aqui, eu amo a internet ❤ ❤ hahah Brincadeira, o Daniel Roberti do restaurante Villa Roberti havia se prontificado a escrever um texto falando das boas razões de se abrir um restaurante.

Quando ele sugeriu esta ideia, achei genial. De forma alguma, queremos confrontar o famoso texto do Mantesso – Não abra um restaurante – afinal, o que ele disse é a verdade nua e crua e ninguém tem que discordar. Queríamos apenas mostrar que também existe um outro lado.

E vindo do Daniel, proprietário de um restaurante “medalhão” de BH, achei muito coerente publicar o texto. Dá só uma olhada nas fotos de lá:

colagem_vila_roberti

Villa Roberti – localizado em uma das áreas mais nobres de BH, tem 80 funcionários e atende cerca de 4 mil clientes por mês.

Com vocês então:

ABRA UM RESTAURANTE

Por Daniel Roberti

O negócio “Gastronomia” vem crescendo a alguns anos e vem atraindo a atenção de diversos empresários que desejam investir em novos restaurantes e profissionais que desejam trabalhar nas cozinhas e salões do Brasil e do mundo.

Não esqueço, quando confidenciei a poucos amigos a minha intenção em abrir um restaurante em Belo Horizonte, as respostas dos mesmos: “Você é louco?”; “Cara, você não sabe o que está fazendo…”; “Na boa, abrir restaurante hoje é uma furada…”; “Isso só vai te dar dor de cabeça, dinheiro que é bom, nada!”. Até aí, tudo bem! Claro que eu não imaginava escutar ” Meu amigo, que ótimo investimento você está fazendo! ” ou ” Isso mesmo, é um segmento tranquilo de se trabalhar e altamente rentável! “. Hoje, 2 anos depois de ter aberto minha casa, isso mesmo CASA, não restaurante, não me arrependo 1 minuto sequer.

Investir na montagem de um restaurante hoje em dia é bom negócio? A resposta é sim, com ressalvas…

Abrir um restaurante nos dias de hoje é SIMPLES! Isso mesmo, SIMPLES! Não confunda SIMPLES com FÁCIL!

Montar um restaurante é simples quando se planeja, se organiza, se prepara e se joga de cabeça no negócio. Quando se tem um negócio, você não pode se aventurar, você tem que analisar riscos e buscar resultados.

Restaurantes te dão problemas a toda hora, quando menos se espera e está preparado. É fato. Mas te dá uma sensação tão boa quando você resolve estes problemas e, principalmente, quando você consegue explicar, ensinar, aprender e repassar o que causou o problema e sua solução para outras pessoas. TROCA DE EXPERIÊNCIAS – está aí uma das boas razões de se ter um restaurante.

Trabalhar em um restaurante é trabalhar com pessoas. Conhecer e tratar bem seus colaboradores é indispensável quando você deseja alcançar o sucesso. Você, no papel de gestor, os orienta, os motiva e os desenvolve para que eles busquem o sucesso e os resultados que você espera. Eu, como “dono” de restaurante, sou um mero coadjuvante.

Contato humano neste segmento domina quase 100% do seu tempo diário. Quando não está com um colaborador, provavelmente está com um fornecedor, parceiro ou cliente. Outro bom motivo para se ter um restaurante, RELACIONAMENTO. Independente do negócio, se você não tiver relacionamento, azedou o caldo para o seu lado.

Prosciutto di Parma con Formaggio e Due Essenze - uma das entradas do Villa Roberti

Prosciutto di Parma con Formaggio e Due Essenze – uma das entradas do Villa Roberti

Se me perguntarem hoje, qual é o seu maior objetivo como “dono” de restaurante, eu respondo: Tornar-me amigo de um maior número possível de meus clientes. Conhecer os hábitos deles, o que gostam e como gostam de saborear um prato ou uma  bebida, onde gostam de comer e quando querem comer, não há preço, planejamento, faculdade, MBA, doutorado no mundo que pague ou ajude a entender isso.

Até agora, relatei somente as vantagens de se abrir um restaurante através da ótica das “relações interpessoais”. Mas convenhamos, restaurante não é ONG, associação sem fins lucrativos, filantropia. Restaurante é um negócio como outro qualquer e, seu maior objetivo (mesmo que não seja o principal no início) é ter LUCRO.

Dá para se ter lucro montando um restaurante? Mais uma vez a resposta é SIM, com ressalvas….

O processo macro de um restaurante (produção/cozinha), desde o pedido de compra, da estocagem, da produção até à chegada dos pratos na mesa do cliente é simples, e mais uma vez repito, não é fácil.

Onde se ganha dinheiro em meio a todos estes processos? Na minha concepção você deve alocar pessoas certas em lugares certos. Em um restaurante há dois “tipos” de profissionais: Gestores e Operacionais. Gestores gerem (mentira!) e operacionais executam. O processo falha quando muitas vezes troca-se os papéis destas pessoas.

Mas não é fácil, não há mão de obra qualificada no mercado… e blá blá blá. Não há? Invista em quem veste a camisa de sua empresa, qualifique-o, ensine-o, forme o profissional! Mas irei formar um profissional para ele ir trabalhar no concorrente? Sim! Talentos vem e vão mas o processo de sua empresa continua e a cada dia fica mais maduro. Ache outro talento e treine-o. Além de capacitar o profissional, desenvolva a pessoa! Faça-a acreditar nos valores de seu negócio, mostre a importância que ela tem em sua empresa e vá além: Venda a ideia/conceito do seu restaurante para ela.

Defina processos em sua empresa, compre bem, faça ficha técnica de seus produtos, controle seu estoque, precifique seus produtos de maneira justa, analise seus custos e vendas e principalmente, valorize sua equipe de trabalho.

Cheesecake Speciale ai Mirtilli

Cheesecake Speciale ai Mirtilli do Villa Roberti

Quando você trabalha em um restaurante você deve ter, quase que obrigatoriamente, PAIXÃO pelo que você faz. É cansativo, difícil e você pensa em desistir. Além de paixão, você precisa ter PERSEVERANÇA. Sem perseverança, a vaca vai pro brejo.

Diversos profissionais de outras áreas são apaixonados pelo que faz, seja ele médico, engenheiro, advogado e etc. Paixão pela gastronomia é um sentimento indescritível, diferente, pois são estes mesmos médicos, engenheiros e advogados que estão à mesa de seu restaurante  e que lhe trazem maior alegria do negócio – observar a fisionomia de cada um quando dão a primeira garfada e se surpreendem com o sabor de um prato ou os elogios em relação ao seu atendimento. Este sim, na maioria das vezes, é o sentimento mais puro e verdadeiro que você deverá ter quando se tem um restaurante. Paixão! Se não tiver, acredito que você está no segmento errado!

 

Abraços de incentivador,

Felipe Tavares

PS: Obrigado mais uma vez Daniel e mais sucesso ainda para a sua “Casa”. Tenho certeza que pessoas que tem esta visão, vão muito longe! Parabéns pelo texto e pela condução do seu negócio!

Anúncios

25 pensamentos sobre “Abra um restaurante

  1. Felipe,

    Mais uma vez agradeço pelo seu “desafio”. Escrevi este texto mais com o coração do que com a razão! Espero realmente que seus leitores gostem e se identifiquem com ele e, além disso, que gere uma boa e saudável discussão sobre o tema.

    Um grande abraço!

    • Daniel,
      Tenho certeza que muitos leitores se identificarão com seu texto e sua sinceridade! =D

      Vamo que vamo!!

    • Duda Pádua disse:

      Muito bom! Você conseguiu desmistificar a errônea idéia de que ter um restaurante é ” casar com o capeta”(tive o desprazer de escutar isso quando abri meu primeiro restaurante.)
      O prazer em servir é inevitável quando se ama comida/pessoas. Parabéns e sucesso a todos!

  2. Douglas disse:

    Ler um texto assim nós inspira, em todos os ramos vamos encontrar dificuldades mas quando existe a seriedade, planejamento, profissionalismo e claro a paixão pelo ofício o resultado em sua grande maioria é satisfatório. Parabéns a você Daniel e ao meu grande irmão Felipe.

  3. Prezados Douglas e Duda Pádua,

    Fico feliz que tenham gostado do texto. Para se trabalhar com Gastronomia, temos que ter paixão sim, e muita! Além disso, temos que ressaltar e salientar sempre que é muito bom trabalhar neste ramo!

    Grande abraço.

  4. Duda Siqueira disse:

    Também me identifiquei com o texto, Um dos prazeres é exatamente o reconhecimento por parte dos clientes/amigos/cúmplices de todo o processo. Amor é a palavra de ordem. A gestão de pessoas mudou faz tempo, tenho muita gratidão por minha equipe, entre acertos e erros, predomina-se uma busca incançavel pelo resultado em se fazer o melhor, porque o envolvimento se estende aos familiares. Como gestores, temos a grata missão de transformar os colaboradores melhores ainda do que
    já são. Minha torcida e que eles se dêem bem conosco ou por aí. Abraço a todos Duda Siqueira

    • Daniel Roberti disse:

      Lembrei de um fato agora Duda Siqueira: Saliento bem no texto que temos que treinar “talentos” sempre, pois eles vem e vão. Um colaborador meu me contou uma experiência que teve em uma palestra de um grande Chef: ” Daniel, o Chef falou que no restaurante dele só entra quem tem curso superior e fala no mínimo duas línguas”. Eu respondi para ele “Meu amigo, aqui os únicos pré requisitos são: comprometimento e vontade de trabalhar” “Trabalhando conosco vocês preencherão quaisquer pré requisitos de outros lugares”. Como desenvolvemos e qualificamos mão de obra se já fechamos a porta logo de cara?

  5. Daniel Roberti disse:

    O conceito é este mesmo Duda Siqueira! Temos que ajudar no desenvolvimento de nossos colaboradores, tanto no profissional quanto no pessoal. Com isso, acabamos nos desenvolvendo junto com eles. Quem ganha? Todos! grande abraço.

  6. Daniel, desde o início percebi que o restaurante para você e suas irmãs não é apenas um negócio. É um sonho, é o prazer de se relacionar e acolher pessoas, é fazer seus colaboradores crescerem junto com vocês. A força que move tudo é a vontade! Parabéns pelo texto!

    • Daniel Roberti disse:

      Ei Ana! Você que nos acompanha desde o inicio e se tornou uma grande amiga, sintetizou bem o nosso sentimento em relação ao negócio. As pessoas que trabalham com Gastronomia tem que evoluir sempre. Nós, gestores, também! E o melhor: Juntos!

  7. Grande prazer ouvir de dois amigos relatos de experiências na gestão de restaurantes. Acompanhei o Villa desde o início e, além de considerar bastante toda a família, desejo toda a sorte do mundo! Sucesso! Aliás, este, só vem aliado a muito trabalho e dedicação, como vocês bem o fazem. Abraços.

    • Daniel Roberti disse:

      Grande Chef e amigo Gabriel Trillo! Saiba que o sentimento de consideração e sucesso é recíproco! Escrevi este texto com o coração e o maior objetivo dele é tentar passar uma mensagem bastante positiva sobre o segmento em que trabalhamos. Muitos focam apenas no pessimismo e experiências negativas. Sou adepto ao otimismo, trabalho e as pessoas. E olha que eu sou o responsável pela operação hein? rsssss.

      Grande abraço e sucesso! (mais né!)

  8. Wagner Elias disse:

    Parabéns Daniel! Eu como colaborador do “seu” restaurante, concordo com tudo que foi escrito. Trabalho em restaurantes desde meus 11 anos de idade, aprendi que restaurante tem momentos bons e ruins, mas no Villa Roberti quando temos momentos ruins (profissional ou pessoal), não estamos sozinhos, temos um bom conselho, um apoio para a alma e principalmente carinho e respeito. “Aqui não é casa de caridade” como você disse, mas poderia servir de escola para muitas pessoas, principalmente, para as que são ou querem ser donos de restaurante.

    • Daniel Roberti disse:

      Fico feliz com suas palavras Wagner! Você é um profissional que está conosco desde o início e, aos poucos, entendeu os verdadeiros valores da casa e hoje nos ajuda a transmiti-los para os demais colaboradores.

  9. Parabens Daniel pelo texto.Realmente abrir um restaurante nao é fácil mas não precisa ser um bicho de 7 cabeças.

  10. Bela disse:

    Texto incrível! Adorei é concordo com tudo que ele falou,
    Sou “vizinha” do Vila Roberti e adoro o serviço, a comida e o ambiente, restaurante nota 10!

    • Daniel Roberti disse:

      Que bom que gostou Bela! Como eu disse a um amigo, foi escrito da forma mais amadora possível e com o coração! Temos que ressaltar os pontos positivos de nosso segmento e acreditar no bem que fazemos. Muito obrigado pelos elogios ao Villa Roberti e fico extremamente feliz por você gostar de nossa casa! Um grande abraço!

  11. Ai, ai, ai… Sumo por um feriado e quando volto tem 19 comentários em um texto lindo! Oh, meu Deus! O texto, na verdade, não me diz nada além do que eu já não imagina como uma pessoa que também deseja ser “dona” de um restaurante em um futuro. Não, mentira, diz sim. Diz que o amigo Daniel é feliz e que não se importa com as horas (a mais) trabalhadas, pois é apaixonado pelo que faz. Parabéns pelo texto, ta sensacional! Sucesso!

    Ps: Felipe, inaugurei a caixa no blog para receber os posts por e-mail! Também adicionei os posts populares na página inicial, depois dá uma olhada lá 😉
    http://chefefrustrada.blogspot.com.br/

    Abraços, abraços e mais abraços! 🙂

    • Tinha até estranhado que não tinha nenhum comentário seu! =/
      É aquele negócio, quando amamos aquilo que fazemos, não importa quantas horas trabalhamos ou quanto tempo ficamos solucionando os problemas. O importante é sempre ter paixão!

      Seu blog tá ficando “top da balada”! Já me inscrevi para não perder nada!
      bjos

  12. Daniel Roberti disse:

    Olá Buia, tudo bem? Posso dizer sim que me apaixonei (e muito!) por este segmento e não me imagino mais fora dele! Muito obrigado pelos elogios e fico muito satisfeito que tenha gostado do texto!

    Obs: concordo com o Felipe: Seus comentários são ótimos!

    Um grande abraço!

  13. Quanto amor! ❤ Ta vendo porque gosto tanto de vc, desse blog e dos seus convidados? 😀 Vocês são uns amores!

    E é aquilo né.. Quando a gente entra de cabeça no que gostamos, não desejamos sair nunca mais! Por isso a Gastronomia é assim… Uma paixão! Ou, como dizia aquele comercial antigo de Sazon, se não me engano: é o amor!

  14. Emilson Rodrigues disse:

    Olá Daniel, seu texto é muito verdadeiro. Já estamos juntos a quase 3 anos e como colaborador, posso dizer com certeza que tão bom quanto abrir um restaurante é trabalhar no Villa Roberti. Você, Gisele, Giselda e Gilvânia são pessoas incríveis. Daniel, na minha concepção para o Villa ser um bom negócio você deve definir melhor o seguimento com três tipos de profissionais como: administradores lideres e sócios. Isso mesmo. Faça de seu funcionário o seu maior “sócio”. Como você mesmo escreveu! Venda a ideia/conceito do seu restaurante para ele. Faça-o sentir dono deste empreendimento. Certamente a pessoa vai sentir vontade de trabalhar, ter sonhos, fazer planos… Deixe-o ganhar dinheiro. Invista,valorize em quem veste a camisa, mas não perca tempo com quem não sabe o que quer quanto a uma careira profissional,com quem só está de passagem.

  15. Daniel Roberti disse:

    É isso aí Emilson! Entendeu direitinho a mensagem do texto! Fico feliz que tenha gostado e gostaria de te agradecer pelas palavras de carinho. Você faz parte de nossa equipe desde o início e pode comprovar melhor do que ninguém sobre os valores de nossa casa! abração!

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

Receba as atualizações do Indo pra Cozinha por e-mail

Junte-se a 309 outros seguidores

Arquivos

%d blogueiros gostam disto: