Entrevista comigo

10

13 de junho de 2014 por Felipe Tavares

Você que estava cansado de ler as entrevistas de outros chefs aqui no blog, que não aguenta mais ver esse tanto de chef premiado nas capas das revistas (#sqn) e que estava louco(a) pra me ver e saber o que passa nessa minha cabeça, SEUS PROBLEMAS ACABARAM!

Hahaha Ritmo de copa, férias, sabe como é, né? O álcool não sai completamente do corpo…

A colega de profissão Sâmara Martins, dona do blog Encontro Gourmet me entrevistou recentemente \o/ Palmas para ela!

Segue entrevista (É pra ler tudo porque vai cair na prova)

Papo Gourmet com Felipe Tavares

O papo Gourmet de hoje será com Felipe Tavares formado em Comunicação Social, habilitação em Relações Públicas, pós-graduado em Gestão Estratégica de Marketing,e também possui o curso de Cozinheiro pelo Senac-BH.

Ele adorava sua carreira de Marketing, mas a paixão pela gastronomia falou mais alto e em 2010, largou tudo para começar uma nova vida na cozinha.

 Em seu Blog “INDO PRA COZINHA” ele conta sobre sua trajetória, bastidores e curiosidades do mundo das panelas que no início não foi fácil, mas o transformou no talento que é hoje.

Como surgiu o interesse pela cozinha?

É aquela velha história de todo cozinheiro: fui criado à beira do fogão ajudando minhas avós, tias e, principalmente minha mãe. Um dia percebi que aquilo era muito mais que um hobby e que queria mesmo era trabalhar na cozinha.

Quais são suas influências gastronômicas?

Gosto do trabalho de chefs que inovam na culinária, mas que mantém suas tradições e raízes. Apesar do Anthony Bourdain não ser mais chef e atuar como jornalista e apresentador, foram os livros dele que mais me inspiraram e influenciaram na cozinha.

Dos chefs atuantes, admiro muito o trabalho e dedicação do Thomas Keller(The French Laundry e Per Se), Eric Ripert(Le Bernadin) e do brasileiro Rafa Costa e Silva (Lasai).

O que você acha da nossa gastronomia mineira?

Adoro nossa culinária! Os temperos, a diversidade de sabores e a simplicidade que ao mesmo tempo a torna tão difícil de ser bem executada.

Como você define sua cozinha?

Me identifico muito com o conceito desenvolvido pelo chef Jefferson Rueda do restaurante Attimo, cozinha ítalo-caipira. Ou seja, técnicas e pratos italianos sendo feitos com ingredientes brasileiros e, claro, da roça. Afinal, quase todo mineiro tem um pezinho lá!

Algum ingrediente não entra em suas produções?

Admiro alguns chefs que fazem a culinária molecular/tecnicoemocional, mas eu mesmo não utilizo nenhum desses produtos em meus pratos.

Qual sua obra prima na cozinha?

Recentemente fiz um prato para uma confraria de chefs que participo que gostei muito e fez sucesso: Talharim de pupunha ao creme de limão siciliano e chips de bacon.

Sua paixão na cozinha, o que te emociona?

O tanto de gente que eu já conheci que realmente se importa com a gastronomia, que não estão seguindo modismos.

Que mesmo depois de 12h, 14h trabalhando em pé saem do restaurante rindo e loucos para tomar uma cerveja e relembrar a loucura que foi o dia, o que deu certo e o que pode melhorar.

Como acha que será o futuro da gastronomia?

Bem complicado. Por um lado está muito bom, nunca tivemos tantas técnicas e acesso a ingredientes do mundo todo. Por outro lado, temos que tomar cuidado com a banalização e glamourização da profissão. Os chefs estão ganhando papel de celebridades e muitos acham que a gastronomia é só cozinhar na televisão e sair em jornais e revistas. Mas esquecem que para chegar ali, foi necessário lavar muita panela, esfregar muito chão e o principal, ser humilde.

Esse boom da gastronomia tem trazido muita gente para a cozinha que acha que a vida ali é fácil, que já é chef sem ter sido ao menos auxiliar, que já sabe usar todas as técnicas porque tem sei lá quantos livros ou viajou para o exterior. Quem vive dentro de uma cozinha, sabe o quão difícil é nossa profissão.

Fale um pouco sobre o “Blog INDO PRA COZINHA” como começou o projeto?

Quando troquei de carreira, comecei a tomar sustos atrás de sustos nas cozinhas. Nada do que eu via ali, alguém tinha me falado ou me preparado. Criei o blog com a intenção de mostrar o “lado B” das coisas. O que não é falado nas escolas, revistas e programas especializados. Queria mostrar como é muito difícil trabalhar TODOS os feriados, conviver com pessoas com um passado bastante obscuro, enfrentar longas horas de trabalho dentro de um lugar quente, estressante e apertado! (rs)

Com o tempo as coisas foram melhorando e o tom do blog foi mudando. Hoje divulgo experiências mais positivas, curiosidades da profissão, entre outros assuntos.

Atualmente, como está sua vida profissional, projetos e afins?

Trabalho ao lado do grande chef e amigo, Edson Puiati na coordenação do curso de Gastronomia da Una, faço muitos eventos, dou consultorias para restaurantes e ainda este ano quero investir ainda mais no “Indo pra Cozinha” que tem tido muitos resultados positivos.

Enfim, o que você gosta de comer?

Comidas simples e feita com dedicação. Mas como diz um foodie famoso – Fábio Moon – simplicity isn’t simple. Ou seja, fazer o simples não é nada fácil.

Abraços de entrevistado,

Felipe Tavares

Anúncios

10 pensamentos sobre “Entrevista comigo

  1. O mundo é das celebridades. Arrasou, caro sobrinho.

  2. Aline disse:

    O simples não é necessáriamente fácil. Parabéns, gostei da entrevista e to sempre ligada no blog.

  3. Sabe que post longo é acompanhado de um comentário meu longo, que tem “vamos por partes?” no início, né?! Então lá vem:
    – “cozinha ítalo-caipira.” Gostei disso aí, hein! Não ta de brincadeira…
    – Na pergunta “Algum ingrediente não entra em suas produções?” você deveria ter respondido “qualquer coisa que seja doce, sou uma negação na confeitaria” hahahahahha =P
    – Chips de bacon é uma coisa tão complexa. Aqui no RJ é algo do tipo http://3.bp.blogspot.com/-hGQ95pxfyLY/TZZHXZfClJI/AAAAAAAAAC0/qKxCjAkjYqY/s1600/bacon.jpg mas é mais conhecido como “pele”, já comeu? É bastante gorduroso, mas é uma delícia!

    A entrevista tá linda, parabéns! Respostas diretas, simples e sem prostituição do gourmet! E pode enxugar esse olho aí, porque sei que ta cheio d’agua!

    • Aêee! Tava sentindo falta dos seus comentários! =D
      – Verdade, devia ter falado que não faço nem brigadeiro!
      – Conheço demais esse chips de bacon ai! Delícia! Mas na receita eu fiz de outro jeito.

      Obrigado pelo carinho de sempre e vamos fazer a campanha: Não à prostituição da Gastronomia!

  4. Parabéns Felipe, o caminho é esse! Trabalhar na cozinha é um exercício de paciência e perseverança que o tempo cuida. Grande abraço e sucesso sempre.

    Chef Leandro Pimenta
    The Lab Gastronomia

  5. mariana a pacheco disse:

    que tudo! adorei, parabens!!!!

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

Receba as atualizações do Indo pra Cozinha por e-mail

Junte-se a 309 outros seguidores

Arquivos

%d blogueiros gostam disto: